O DIA EM QUE RAPEI O CABELO

O título podia ter sido elaborado de várias formas, por exemplo “O dia em que cometi uma loucura” ou então “Quando a pancada é gigante”. Apesar de ter rapado pouco cabelo, senti que uma parte de mim desapareceu que é bom. Estava a precisar disto, arriscar e fazer algo bem diferente. Assim, finalmente rapei o cabelo. Aproveitei que o tuquinha estava a dormir e tirei estas fotografias. Dentro do género self portrait, sem maquilhagem, muito “de natural“.

Para ser sincera não me identifico com nenhum padrão ou estilo que existe por aí, não sinto que seja alternativa, mas também não visto as coisas mais recentes. Gosto de combinar coisas exorbitantes, vestir-me 90% das vezes de preto e fingir que ando a desfilar. Não perguntem o porquê, mas a verdade é essa (risos). Nunca identifiquei-me com a “vestimenta” de mãe, isto é, aqueles conjuntos mais clássicos, porque eu de clássica só mesmo a música dos anos 80. Tentar alcançar a perfeição não é boa ideia.

Eu de clássica só mesmo a música dos anos 80

Rapar o cabelo nem que fosse uma mechazinha estava na minha bucket list. Queria saber qual a sensação de não ter cabelo naquela zona e achei que já estava na altura de fazer este penteado de lado visto que a moda já passou. Ainda não utilizei muito este penteado na rua, mas quero ver como fica com certos outfits. Uma das melhores coisas que posso garantir é o ventinho fresco a passar por aquele espaço. É o que digo, dá para arejar as ideias (risos).

Esta coisa de rapar o cabelo não foi de todo pensado, foi feito à pressão e três pancadas. Fiz o risco ao meio e atrás, de seguida atei e foi só cortar com a tesoura. No final máquina de cortar o cabelo sem pente, ou seja, pente zero. Filmei a parte do cortar e em principio irei colocar no IGTV, só falta mesmo a vontade de o editar

Não foi de todo pensado, foi feito à pressão e três pancadas

Com isto quero dizer a famosa frase “a vida só tem dois dias” e devemos aproveitar o quanto antes. Não deixar para amanha o que podemos fazer hoje. Já andava há tanto tempo para fazer isto e finalmente ganhei a coragem. Convido assim para vocês fazerem as maiores loucuras que têm na bucket list. Depois mostrarem-me fotografias da mesma. Estou desejosa para ver!

 

27 Comments

  1. Amo fotos tuas assim, de cara lavada e natural Quanto à loucura fizeste muito bem, sabe tão bem fazermos algo diferente e só porque sim!
    Ansiosa por ver fotos tuas c esse penteado :3

    Quanto à minha loucura já sabes qual é xD
    Um beijinho!

  2. Bem, que loucura.. Mas fica te super bem! Curiosa por ver o resto das fotos
    Eu também queria fazer uma cena dessas, mas a minha cabeleireira não deixou, então cortei o curto por todo

  3. Ainda ontem falava disto. Se fosse há uns anos teria um certo “medo” de cortar o cabelo curto, hoje já teria essa “coragem” de rapar nesse estilo de penteado! Acho super giro e fico feliz que tenhas feito! Beijinhos

  4. É o teu estilo, é o que te torna diferente e isso é maravilhoso. Porque deixas a tua pegada no mundo sem estar formatada por roupas/escolhas iguais aos restantes.
    Se era algo que querias, acho que fizeste muito bem em cometer essa loucura. E digo-te que te fica mesmo bem 😀

  5. Ficaste linda e admiro imenso a tua coragem.
    Às vezes esquecemos nos mesmo que a vida é curta e que devemos aproveitá-la o máximo possível.
    Continua.
    Xoxo,
    Clara Almeida | cielaunlimitedblog.wordpress.com

  6. Adorei!! Gostava de ter a mesma coragem, cada vez que vejo as vickings babo-me de vontade, a verdade é que infelizmente, nos trabalhos existem coisas que não são bem aceites … Ainda !! Beijinhos corajosa!!! A espontaneidade faz maravilhas!!!

    1. Infelizmente isso que disseste do trabalhos de não ser aceite é uma grande realidade e custa-me que ainda haja esse preconceito :l

      Beijinhos

  7. Muitas vezes deixamos de fazer coisas por pensarmos demasiado nelas, pelo que fizeste bem em rapar o cabelo sem pensar nisso. E ficou-te muito bem 😀

  8. Que maravilhoso esse relato sobre correr riscos para descobrir mais si, Dani! Tantas entrelinhas sobre amor-próprio e sobre o lembrete de que ele vai muito além de um espelho literal… Ai, lindeza pura!

    semquases.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

%d bloggers like this: