EmLIFESTYLE

6 COISAS QUE “DESDENHEI” E ACABEI POR “COMPRAR”

Se há coisa que costumo dizer com alguma frequência é que a vida dá voltas e bem grandes. Se calhar o grande problema foi ter calhado o euromilhões (isto é ter, nascido o Tuquinha), mas também quem desdenha quer comprar! Tenho vindo arrepender redondamente a coisas que digo “não“, “ai credo nunca” ou então “ai que horror“.

Lá está a mente humana é espantosa e somos tão influenciados sem dar conta, a verdade é essa! Contudo nem sempre é mau e temos que pensar de forma positiva. Existe sempre alguma razão por ter mudado de opinião e não devemos de sentir mal por isso.

A mente humana é espantosa e somos tão influenciados sem dar conta

Vegetarianismo – Quando a minha irmã tornou-se vegetariana, apenas gozava com ela e chamava-lhe de pássaro porque sementes não eram para mim. Meio ano depois lá estava eu a tornar-me também vegetariana. Como disse não há mal em certas ocasiões.

Crianças – Antes de ser mãe não conseguia ver crianças à frente e nem sabia o que fazer com elas. Comigo não existia Daniela e Crianças na mesma frase. Não tenho a culpa, visto que da família sou das mais novas não é. Mas com o nascimento do Tuquinha a coisa lá mudou, e apesar de não estar 100% confortável com uma criança de outra pessoa sei já sei como agir (risos).

Saudável – Antes de tornar-me vegetariana era uma típica americana. Comia carne com batatas ou carne com arroz e por vezes a única “verdura” que aparecia no prato era alface. Comer brócolos? Leguminosas? Cogumelos? Tofu? Credo nunca pensei. Agora são vida!

Ser mãe – Na verdade em criança gostava de ser mãe, mas com o tempo a minha forma de pensar foi mudando e ter filhos não estava nem de perto nos meus planos. Tal como casar e já estamos a começar a planear as coisas. Mas mais uma vez quem desdenha quer comprar. Por isso fomos presenteados com o melhor e mais fofinho bebé do mundo.

Ter filhos não estava nem de perto nos meus planos

Estar à frente da lente – Eu sempre adorei fotografia. Não sou expert da coisa, mas foi algo que esteve presente na minha vida. Mas estar à frente da objectiva nunca foi para mim, a vergonha era muita e metia sempre a mão à frente. Lá está, nunca digas nunca.

Batons – Quando os batons começaram a surgir do meio do nada a serem utilizados no dia-a-dia eu simplesmente detestei. Para mim serviam para ser utilizados em coisas especiais. Andar com as “beiças” pintadas? Isso não era para mim. Mas como sempre quem desdenha quer comprar e agora tenho uma colecção gigante de batons e costumo utilizar com uma grande regularidade.

Já aprendi a minha lição e sinceramente já deixei de dizer não a muitas coisas, porque quiçá um dia se não faço o mesmo não é (risos). A vida dá voltas e só temos que aprender a lição.

E vocês quais foram as situações que disseram não mas no final acabaram por fazer?

You may also like

14 Comentários

  • Anabela

    Nada acontece por acaso, e acho que estas voltas que vida nos dá, é certamente para nos ensinar alguma coisa. O destino, a vida em si é algo de misterioso, e nem sempre há uma explicação. É importante tirar-mos estas lições, que neste caso, tu tornaste numa pessoa pessoa diferente, sendo mãe e vegetariana, abriram-te o horizonte (estou errada?) 😀
    Beijinhos

    11 Junho, 2018 at 11:57 Reply
  • Cristiana

    Adorei o teu post, e acho que o que mais identifico é com os batons hahaha
    Beijinhos **

    https://w-m-mind.blogs.sapo.pt/

    11 Junho, 2018 at 12:49 Reply
  • A casa da Branca de Neve

    Gostei bastante do post, todas nós passamos por estes momentos.
    Eu por exemplo, quando era mais nova também dizia sempre que nunca me iria casar e que nem queria ter filhos. Agora são coisas que sem dúvida alguma quero viver.

    11 Junho, 2018 at 13:06 Reply
  • Andreia

    Adorei te conhecer um pouco melhor, na verdade estamos sempre em constante mudança, não me lembro assim de nada tão afirmativo, mas se alguma vez me virem de sabrinas… acho que vai ser uma dessas ocasiões ahaha porque eu detesto!!!

    Beijinhos
    https://titicadeia.blogspot.com/

    11 Junho, 2018 at 13:16 Reply
  • Helena Raquel Baptista

    Uma situação que disse e que agora uso muito é pestanas postiças, ou bases de alta cobertura, com maquilhagens com tons mais terrosos!!!
    dizia que não não não e agora não dispenso! ehehe
    beijinho
    http://dreamsprincess20160.blogspot.pt/

    11 Junho, 2018 at 14:07 Reply
  • Lucie Barreira

    Gostei muito do teu blog e vou seguir ! 🙂
    Quanto ao post, é mesmo aquela história de que não devemos dizer nunca que pumba… lá nos vem o momento em que fazemos o contrário ahah 😀 Mas o importante é sermos felizes com as nossas decisões ! Beijinhos

    11 Junho, 2018 at 14:31 Reply
  • Andreia Morais

    Acredito que nada acontece por acaso. E que estas demonstrações só nos provam que, para além de não devermos dizer nunca, estamos em constante formação e mudança, por isso, é natural que não sigamos sempre o mesmo caminho 🙂
    Revi-me tanto na parte dos batons ahahah

    11 Junho, 2018 at 19:56 Reply
  • Patrícia Silva

    Adorei o post! De facto às vezes aquilo ao qual mais dizemos não é o que depois acabamos a gostar! Adoro a foto que tens com o teu filho de mãos dadas, está linda, perfeita diria! kiss^^

    11 Junho, 2018 at 20:57 Reply
  • Adriana R.

    É tãoo isto! Sinto isso em muita coisa, mas por exemplo no que toca a maquilhagem, se há 5 anos atrás me dissessem que ia gostar tanto como gosto hoje não acreditaria de modo algum haha. Então de estar “à frente da lente” uui. Compreendo-te perfeitamente. <3

    11 Junho, 2018 at 21:19 Reply
  • Catarina Jesus

    Ai tantas! Uma delas era “nunca vou ter namorado” e quando o arranjei nunca mais o larguei ahaha Realmente é engraçado como vamos mudando ao longo do tempo.

    Beijinhos,
    Yellow Rain

    12 Junho, 2018 at 16:51 Reply
  • Marta Carvalho

    Identifiquei-me com a parte do ser “saudável”! Eu também não era… só comia porcarias! Hoje, só como saudável! 😛
    beijinhos

    amarcadamarta.blogspot.pt

    12 Junho, 2018 at 20:20 Reply
  • Sara Canhoto

    Quem nunca não é verdade? Já me aconteceram tantas transformações: eu não quero casar, eu nunca vou ser capaz de dar um workshop, eu nunca serei capaz de ser blogger, odeio calças de cintura subida, etc, etc.

    É bom sinal! É sinal de que crescemos e que tentamos coisas novas, somos mentes abertas 😀

    Um beijinho**

    13 Junho, 2018 at 13:49 Reply
  • Do jeito da Mi

    Como te compreendo, mas eu acho que essas coisas que não gostavamos e passamos a gostar também se deve ao meio onde nos envolvemos, por exemplo, eu agora ate gostava de casar, e antes não tinha essa vontade, acho que a minha média de 3 casórios/ ano nos últimos anos me fez pensar assim 😀 😀
    Em relação aos batons, isso é mesmo um problema que todas temos 😀 😀 😀
    Beijinhos

    14 Junho, 2018 at 21:15 Reply
  • Mel

    Revi-me tanto no das crianças; também não fazia parte dos meus planos ter um filho, mas agora só consigo pensar nisso 😐 medo É bom mudarmos, desde que seja para melhor. E as tuas mudanças foram mesmo boas 🙂

    Beijinho*

    15 Junho, 2018 at 11:57 Reply
  • Deixa um comentário

    This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

    %d bloggers like this: